Homem armado com submetralhadora é morto em confronto com a PM; ação policial soma 24 mortes no litoral de SP

Operação Escudo resultou, até o momento, na prisão de 709 pessoas e apreensão de mais de 900 quilos de drogas.

Um homem, de 31 anos, foi morto em confronto com a PM durante um patrulhamento policial pela Operação Escudo, no Sítio Cachoeira, em Guarujá, no litoral de São Paulo. Com isso, chegou a 24 o número de mortos na ação policial, que foi deflagrada em 28 de julho após o assassinato do PM da Rota, Patrick Bastos Reis, que levou um tiro em serviço pela Vila Julia, na mesma cidade.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP-SP), os policiais visualizaram o suspeito com uma arma longa pendurada no ombro e, durante a abordagem, este teria atirado na direção dos agentes, que revidaram e o acertaram na terça-feira (29).

Após baleado, os policiais apreenderam uma submetralhadora, um carregador de munição e um rádio comunicador. O suspeito foi socorrido e levado à Unidade de Pronto Atendimento da Rodoviária, onde foi constatada a morte. A Polícia Civil solicitou o trabalho da perícia no local dos fatos e nas armas dos PMs e do suspeito.

O caso foi registrado como morte decorrente de intervenção policial, homicídio tentado e posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito na Delegacia de Polícia de Guarujá.

Por determinação da SSP-SP, todos os casos de morte decorrentes de intervenção policial serão investigados pelo Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) de Santos e pela Polícia Militar por meio de Inquérito Policial Militar.

Todo conjunto probatório apurado no curso das investigações, incluindo as imagens das câmeras corporais, está sendo compartilhado com o Ministério Público e o Poder Judiciário

Balanço parcial

A SSP-SP informou que, entre 28 de julho e 29 de agosto, foram presas 709 pessoas, sendo 272 foragidas da Justiça. No período, os policiais apreenderam 90 armas e 928,2 kg de entorpecentes, causando um prejuízo ao tráfico de drogas que já passa dos R$ 2 milhões.

A Operação Escudo, deflagrada pela SSP-SP há 33 dias, não tem prazo para terminar. A informação sobre a continuação da ação policial, foi confirmada pelo chefe de assessoria militar da pasta, Pedro Luis de Souza Lopes, durante o fórum A Região em Pauta, cujo tema foi Segurança Pública. O evento ocorreu na segunda-feira (28), no auditório do Grupo Tribuna, em Santos, no litoral de São Paulo.

 

By Alessandra Gomes

Deixe um comentário

Confira!